Saiba exatamente para o que serve e como funciona a ressonancia magnetica belem

Hospital Amazônia: uma das melhores estruturas em ortopedia entre os hospitais particulares em belém
04/06/2019
Algumas dicas importantes para você aproveitar a época mais quentes do ano sem ter que ir a um hospital belem.
23/07/2019

O desenvolvimento de exames mais precisos ajudou a medicina a evoluir bastante seus tratamentos, possibilitando inclusive cirurgias mais eficientes e seguras. A ressonância magnética é um desses exames. Quer conhecer mais sobre ela? Continue a leitura!

O que é ressonância magnética?

Muita gente sequer lembra o nome desse exame, mas lembra-se que precisou fazer algo onde foi colocado em uma maca e entrou dentro de um tubo que fazia bastante barulho. Essa é a ressonância magnética. Ela utiliza eletromagnetismo para fazer imagens muito precisas de diversas partes do corpo. 

A ressonância pode ser realizada para praticamente qualquer parte do corpo, incluindo: 

  • Crânio; 
  • Abdômen; 
  • Tórax; 
  • Pelve; 
  • Mamas; 
  • Coluna; 
  • Cervical; 
  • Ombros; 
  • Braços; 
  • Cotovelo; 
  • Punho; 
  • Mão; 
  • Pás; 
  • Bacia; 
  • Coxa;
  • Joelho; 
  • Tornozelo. 

Também existem tipos de ressonância mais específicos para certas partes do corpo, como as utilizadas para avaliar a função cerebral e vasos sanguíneos. Por serem mais exatas elas ajudam médicos a realizarem diagnósticos baseados em dados mais confiáveis. 

Por que a ressonância magnética é tão utilizada?
Diferente de outros tipos de exames, como o Raio-X e a Tomografia computadorizada, a ressonância magnética não utiliza radiação para obter resultados confiáveis. Por isso, médicos recomendam utilizar a ressonância principalmente com crianças, gestantes e pessoas que realizam muitos exames de imagem. O contraste utilizado no procedimento também é diferente, sendo a base de gadolíneo. Outros exames, como a tomografia, utilizam iodo, que pode causar reações alérgicas em certos indivíduos. Quem já possui histórico de alergia deve sempre realizar a ressonância. A resolução das imagens obtidas também é um de seus diferenciais e permite identificar lesões que não seria reconhecíveis através de outros métodos. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *