médico urologista do hospital amazônia explica os tipos de pedras nos rins
Médico urologista orienta você sobre quais são os tipos de pedras que se formam nos rins.
08/05/2020
o que é meningite médico infectologista do hospital Amazônia esclarece
Meningite: seu médico infectologista esclarece o que é.
25/05/2020

Conheça sintomas e tratamento de infecção intestinal de acordo com médicos da sua clínica gastro.

Por acaso você já sofreu com desconforto abdominal, vômitos ou diarreia depois de comer algo? Isso é o que chamamos de infecções intestinais. Em uma clínica gastro é comum encontrar esses casos. As infecções podem surgir por causa de vírus, bactérias, entre outros microrganismos que afetam o estômago e o intestino.

Em adultos esse tipo de infecção raramente apresenta o risco de complicações. No entanto, em idosos e crianças ela pode causar desidratação séria e até exigir a internação do paciente em hospitais do pará. Conhecer os sintomas, fatores de risco e tratamento também ajudam na prevenção de quadros de infecção. 

Quer entender tudo que você precisa saber sobre as informações intestinais? Confira as informações mais relevantes no artigo abaixo!

Clínica gastro explica o que causa as infecções gastrointestinais

Infecções gastrointestinais podem ser causadas por uma variedade de microrganismos, incluindo vírus, bactérias e parasitas em geral. Os microrganismos causam inflamação em diversas partes do trato gastrointestinal, incluindo estômago (gastroenterite) e intestino delgado. 

Existem dezenas de bactérias, vírus e outros microrganismos que podem causar a infecção gastrointestinal. Dependendo do causador, o quadro pode ser mais grave, como ocorre com o Rotavírus que, apesar de possuir vacina, ainda causa milhares de casos de infecção em todo o mundo. O Rotavírus é o principal causador de casos graves de diarreia em crianças, especialmente abaixo dos 5 anos. 

Outra causa comum é a infecção pela H. pylori, uma bactéria que está mais associada a úlceras gástricas e duodenais. Na maioria dos casos de pacientes infectados com a bactéria não existem sintomas, mas ela também pode causar os sintomas mais comuns de infecções intestinais. Outros microrganismos que podem causar a condição incluem: 

  • Adenovírus; 
  • Campylobacter; 
  • Clostridium difficile;
  • E. coli; 
  • Salmonella; 
  • Shigella; 
  • Staphylococcus aureus; 
  • Yersinia enterocolítica. 

Quando um paciente apresenta sintomas de infecção intestinal o médico pode pedir exames a serem realizados em um laboratório, como o laboratório Amazônia. Os exames laboratoriais usam amostras fecais para detectar antígenos. 

Além de identificar qual é o tipo de microrganismo que causou os sintomas o exame também pode identificar a suscetibilidade a antibióticos. Assim o gastro consegue determinar se o antígeno causador é resistente a certos medicamentos e encontrar o melhor tratamento.

Sintomas que indicam que está na hora de procurar um médico gastroenterologista

Alguns sintomas de irritação gastrointestinal não costumam causar alarme. Azia e dor abdominal raramente fazem com que alguém marque uma consulta em uma clínica gastro. Afinal de contas, esses sintomas são comuns e quase todo mundo os sente algumas vezes ao ano. No entanto, existem alguns sintomas que devem despertar alarme. 

Os sintomas podem surgir imediatamente após comer um alimento contaminado com microrganismos. Em outros casos eles surgem até 3 dias depois e podem incluir: 

  • Dor abdominal e cólica; 
  • Febre; 
  • Diarreia, em alguns casos com sangue; 
  • Vômito; 
  • Dor de cabeça; 
  • Perda de apetite; 
  • Aumento de gases. 

A diarreia é o sintoma mais comum e característico de infecções intestinais. Existem dois grupos de risco que devem prestar ainda mais atenção a esse sintoma: crianças e idosos. Pessoas dessas faixas etárias são mais sujeitos à desidratação caso sofram de diarreia por longos períodos. Por isso é importante procurar um gastroenterologista assim que os sintomas iniciam. 

Quando o quadro inclui diarreia com sangue, febre alta e dor no corpo o atendimento deve ser imediato. Esses são sinais de uma infecção grave que pode até levar a complicações e óbito em pacientes mais debilitados.

Clínica gastro Hospital Amazônia explica o que é infecção intestinal e como tratar

Fatores de risco de acordo com clínica gastro

Algumas pessoas possuem mais risco de desenvolver algum tipo de infecção intestinal que outras. O primeiro grupo de risco que precisa ficar atento à alimentação para evitar problemas são os imunossuprimidos. Nessa categoria é possível incluir pacientes com AIDs, em tratamento oncológico ou com outras doenças que afetam o sistema imunológico. 

Por terem um sistema de defesa do organismo naturalmente mais frágil, essas pessoas podem desenvolver infecções com maior frequência. Indivíduos saudáveis adultos geralmente conseguem eliminar os microrganismos antes que cheguem a causar sintomas, algo que não ocorre com quem é considerado imunossuprimido. 

Quem toma remédios para controlar gastrite ou azia também está mais exposto às infecções. O ácido do estômago não é útil somente para digerir alimentos, mas também para eliminar microrganismos que possam estar na comida. 

Quando a acidez do estômago é reduzida através de medicamentos as bactérias, vírus e parasitas podem sobreviver e causar sintomas de infecção.

Como ocorre o tratamento em uma clínica gastro

Ao procurar uma clínica gastro por sintomas de infecção gastrointestinal e determinar a causa o tratamento costuma iniciar rapidamente. O objetivo principal é controlar os sintomas e evitar que o paciente fique desidratado, algo que pode ameaçar sua vida. 

Para isso, é preciso manter o paciente constantemente hidratado, seja por via oral ou intravenosa usando soro. Além disso, o médico pode recomendar medicamentos para controlar a infecção.

Tratamento medicamentoso

Nem todos os pacientes precisam de tratamento com remédios para a infecção intestinal! Geralmente os medicamentos só são recomendados para quem sofre de infecção bacteriana. Mesmo nesses casos os antibióticos não são sempre utilizados, somente para os mais graves. 

Eles nem sempre são recomendados, porque, caso o microrganismo causador não seja identificado, talvez sejam ineficazes no tratamento. Além disso, causam sérios efeitos colaterais e aumentam as chances da bactéria desenvolver resistência. Pacientes de clínica gastro que desistem do tratamento com antibióticos antes do tempo estabelecido pelo médico estão em risco especial de terem bactérias resistentes ao remédio. 

Mudanças em hábitos de vida e alimentação

A melhor solução para quase todos os casos de infecção intestinal é realizar alterações na alimentação. O paciente que apresenta sintomas deve evitar: 

  • Saladas; 
  • Café; 
  • Alimentos gordurosos; 
  • Álcool; 
  • Frituras; 
  • Adoçantes com sorbitol; 
  • Feijão; 
  • Milho; 
  • Ervilha;
  • Ovo. 

A intenção é evitar alimentos ricos em fibras, caso de saladas, legumes e frutas com casca, que aumentem o trânsito intestinal e possam piorar a diarreia. Comidas que causam muitos gases, como feijão e ovo, também devem ser eliminados da alimentação enquanto durarem os sintomas. 

A hidratação tomando água, chás e água de coco deve ser constante. Caso seja necessário o médico pode prescrever um soro caseiro ou outros líquidos para recuperar água e sais minerais no organismo.

É possível prevenir a infecção intestinal?

Em geral é possível prevenir muitos casos de infecções intestinais através de hábitos básicos de higiene. Lavar as mãos antes da refeição ou antes de levar a mão à boca é importantíssimo e o hábito precisa ser muito reforçado em crianças. 

Os alimentos também precisam ser lavados antes de serem ingeridos. Dê preferência a carne, ovos e legumes cozidos, evitando comer carnes mal passadas ou ovo cru já que podem conter microrganismos. 

A água também é uma possível fonte de infecção. Portanto, sempre consuma água tratada ou filtrada. Caso não exista água tratada disponível ela deve ser fervida antes de ser ingerida.

E para qualquer problema, lembre-se: consulte-se com os profissionais do Amazônia. O seu hospital preferido, o seu hospital do coração. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *